Notícias

Conheça exemplos da sociedade civil e do poder público que apoiam ressocialização de ex-detentos

Por Redação, 27/10/2019 às 10:52
atualizado em: 27/10/2019 às 17:11

Texto:

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Marcos Santos/USP Imagens
00:00 00:00

Na última reportagem da série especial “Segunda chance: realidade ou ilusão”, João Felipe Lolli mostra duas iniciativas que capacitam, acolhem e dão oportunidades a detentos no fim do cumprimento de pena e também aqueles que deixaram as penitenciárias. 

Ouça a reportagem completa com João Felipe Lolli

Leia também: Preconceito é principal entrave para volta de ex-detentos ao mercado de trabalho
'Segunda chance - realidade ou ilusão': você daria oportunidade para um ex-detento?
Associações defendem mais qualificação e oportunidades profissionais para detentos
Uma das maiores do país, penitenciária da Grande BH tem 800 detentos trabalhando
A história de pessoas que deixaram a prisão e buscam a ressocialização em MG

A psicóloga e pedagoga Andrea Ferreira é fundadora da Associação Mineira de Educação Continuada (Asmec). Há 17 anos, faz a ponte entre detentos, egressos do sistema penitenciário e o mercado de trabalho. Ela diz que não garante vaga para ninguém, mas segue aquela máxima de não dar o peixe, mas ensinar a pescar. “A verdade, o que a gente quer é qualificar essa mão de obra e preparar essa pessoa para a volta à sociedade”.

Segundo a Prefeitura de Contagem, na Grande BH, 60 presos trabalham no calçamento de vias em sete bairros, projeto que iniciou em setembro e com término previsto para fevereiro, recebendo R$ 750 como remuneração. Outros 60 detentos devem ser contratados, fazendo deste projeto “a maior mão de obra carcerária em obras públicas de mobilidade urbana do país”, segundo a assessoria da prefeitura. 

PresPI

O Programa de Inclusão dos Egressos do Sistema Prisional (PresPI) é uma política de estado em Minas Gerais. Existe há 14 anos, com a importância reconhecida por diferentes governos, desde o PSDB, de Aécio Neves, passando pelo PT, de Fernando Pimentel e agora pelo Novo, de Romeu Zema. O programa está presente na capital e em mais 11 cidades mineiras, conta com uma equipe de 57 profissionais, entre psicólogos, pedagogos, assistentes sociais e advogados. 

Foram 15.279 atendimentos de janeiro a setembro deste ano. 

Diante da realidade brasileira que é de falta de empregos, somada ao preconceito que muitos ex-detentos enfrentam, incentivar iniciativas empreendedoras tem sido uma solução. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    PL inclui também demais programas sociais que utilizem o Cadastro Único do governo federal; clique e entenda #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    A vítima, de 30 anos, estava desaparecida desde a última sexta-feira (10) #itatiaia

    Acessar Link